Archive

Posts Tagged ‘witbier’

Do Copo Pra Panela – Camarões ao molho de Witbier

Esta receita foi pproduzida por mim para seção da “Semana Santa” do site colaborado Sabores à mesa – comandado por Marcos Delavald. Uma das primeiras experiências de usar a cerveja como ingrediente.
Agora repasso aqui no blog, aproveite!

Ingredientes:
– 500g de Camarão Rosa limpos sem casca e cabeça
– raspas de laranja
– 330ml de Cerveja de Trigo Hoegaarden
– coentro em folha
– Sal e Pimenta do Reino moída na hora
– Sal e Pimenta do Reino moída na hora
– Azeite Extra Virgem
– 150ml de creme de leite

Descrição:
Lave os camarões em água corrente e tempere com sal e pimenta do reino moída na hora. Com um raspador retire as raspas da casca de laranja, sempre cuidando para não raspar a parte branca da casca pois ela amarga a comida quando for ao fogo. Grelhe os camarões em uma frigideira com um pouco de ólho e em fogo brando, sem mexer para que não solte líquido. Vire os camarões e acrescente as raspas de laranja.  De uma leve refogada nas raspas, para que seus óleos liberem sabor, o coentro picado, acrescente a cerveja e com um papél alumínio abafe por 5 min a fervura. Enquanto isso limpe os shimejes retirando a raíz sem desgrudar o “buque”, tempere com sal, pimenta do reino moida na hora e um pouco de azeite extra virgem e coloque-os para assar em forno a 180°Cm por 10 min. Eles ficarão suculentos e saborosos. Retire os camarões e reserve-os.
Deixe reduzir a cerveja pela metade, e acrescente o creme de leite e deixe cozinhar por mais 5 minutos. Ajuste os temperos.
Só servir e acompanhar com uma boa companhia.

Rendimento: 2 pessoas Preparação 30 minutos
Dica: Caso não ache os Shimejis Salmon pode substituir por outros cogumelos. Shimeji branco, hiratake, shitake, entre outros.

Wäls Witte

Mais uma vez a Wäls realizou sonhos. Nessa oportunidade, nos levou às nuvens, matando o extremo calor que anda fazendo neste verão.

Na última edição do Festival Brasileiro da Cerveja, a Cervejaria lançou uma sua última cria: Wäls Witte.

Wittes são as cervejas de trigo belga, produzidas com pelo menos 25% de malte de trigo, corpo leve, refrescante, leve acidez e especiarias, como semente de coentro, cascas de frutas e especiarias da região em que produzida. Ideal para os dias de altas temperaturas, por conta de se caráter refrescante e leveza.

A Witte Beer – mais conhecida como Witbier – surgiu, claro, na Bélgica e tomou conta da região leste de Bruxelas, tendo Hoeggarden como principal produtora. A wit da época era produzida baseada nas cervejas medievais, as quais usavam o gruit – especiaria utilizada antes do surgimento do lúpulo – como tempero.

A Wäls Witte segue à risca o estilo. Usa como especiarias – segundo Zé Felipe – pimenta da Jamaica e otras cositas más!  Esses “segredos” trazem à  cerveja caráter refrescante, cítrico, leve acidez e bastante condimento. Com corpo leve, espuma consistente e cor dourada pálida, essa cerveja foi sensação no festival e com certeza irá agradar até mesmo quem faz nariz torto ao estilo.

Com a revolução das cervejas lager, depois da Segunda Guerra Mundial, as Witbiers estiveram perto de acabarem e por mais 10 anos tiveram sua produção quase encerrada. Em 1966, Pierre Celis montou a cervejaria De Kluis, revivendo o estilo na já conhecida Hoeggarden.

A Cervejaria mineira Wäls mais uma vez trouxe a verdade para dentro do copo e produziu uma excelente cerveja. Dentro de dois meses estará à venda no mercado.

Foto: Acervo Wäls Cervejaria