Arquivo

Posts Tagged ‘Cerveja Leuven’

IV Harmozição da Academia da Cerveja

Dia 10 de março de 2012 a Academia da Cerveja, uma das principais casas em Santa Catarina que trabalha em prol da cultura cervejeira, realizou a IV Harmonização da Academia da Cerveja. Dessa vez, tive o prazer de conduzir a harmonização no estilo ” cruza e cabeceia para o gol”: confecção dos pratos e explicação das harmonizações eleitas. Experiência muito interessante.

A harmonização foi toda no tema de frutos do mar e com a perspectiva de trazer novas preparações aos manézinhos, saindo dos tradicionais “camarão na moranga” e ” peixe assado com pirão”. Os pratos foram: ceviche, brandade de mexilhão ao molho de maracuja, truta com bacon sobre batata confitada e, de sobremesa, creme brûlée.

Para acompanhar esses pratos, foram escolhidas as cervejas Coruja Alba, Basemente Golden California Ale, Coruja Alba Weizenbock e Leuven Dubbel, respectivamente.

Segue a baixo impressões de cada harmonização.

Ceviche e Coruja Alba Weiss

Ceviche é um prato de origem inca e consiste em uma preparação com peixes frescos marinados – em sua origem, marinados com chicha (cerveja de milho produzida pelos locais e fermentada com suas salivas), ocasionando o cozimento através de um meio ácido -, no caso, com limão.

O frescor do peixe e a refrescância do prato combinaram muito bem com a característica leve e condimentada da Coruja Alba. Sua carbonatação ajudou na limpeza do paladar.

Ótima experiência!

Brandade de Mexilhão ao molho de maracujá e Basemente California Golden Ale

Brandade é uma preparação originária da Catalunha e que gera muita briga entre seus habitantes e os franceses – como sempre, conhecidos erroneamente como os “pais” da gastronomia, querendo todos os créditos. Originalmente o prato leva bacalhau, emulsão de batata e creme de leite – França – ou somente bacalhau misturado com azeite – catalunha.

Nessa minha versão, acabei criando em cima da preparação francesa – batata, proteína e creme de leite – trocando a primeira por batata baroa (mandioquinha), os mexilhões na proteína e molho de maracujá em substituição ao creme de leite.

Para acompanhar, uma American Pale Ale foi escolhida. Com característica levemente frutada – decorrente do lúpulo Amarillo, maltes de cereais, leve caramelo e mel. Combinou muito bem com as características semelhantes encontradas no prato, ocasionando uma instigante experiência aos participantes.

Truta grelhada com bacon sobre batatas confitadas e Coruja Alba Weizenbock

Um pouco diferente das demais Weizenbock, a Coruja Alba leva uma pequena porcentagem de malte defumado na sua composição, trazendo leve sensação de amargor e corpo. Além disso, com IBU – Unidade de medida de amargor – lembrando que não é usado somente para amargor de lúpulo – mais elevado (46 da Coruja, 15 a 30 nas demais weizenbock, segundo o BJCP).

A boa base de malte lembrando caramelo, leve defumado e fermento, como toques de cravo e banana passa – esta resultado da combinação do malte e do sub produto do fermento – combinaram bem com o sabor marcante da truta e do bacon, trazendo complexidade à harmonização.

Creme Brûlée e Leuven Dubbel

Creme Brûlée – de requintado só o nome – é um doce típico francês e que consiste em um creme de ovos com uma deliciosa crosta de açúcar queimado.

Essa sobremesa pede uma cerveja com bastante base de malte e encorpada. A Dubbel eleita combinou muito bem, pela sua carga de malte, lembrando caramelo, e leve torrefação. Seus 8% abv ajudaram a quebrar a gordura do doce.

Uma excelente harmonização e, segundo alguns participantes, uma das melhores.

;

Fotos: Michele Meiato Xavier

Harmonização 5 estados

image

A partir do dia 17 de novembro, acontecerá em Blumenau a terceira edição do Festival Brasileiro da Cerveja. Serão mais de 150 expositores que se dividirão entre microcervejarias, importadoras, restaurantes especializados em cervejas e lojas.
Além da qualidade eclética das apresentações musicais, diversas paletras acontecerão durante todo evento.
Com o propósito de difundir a cultura cervejeira no país, a organização do festival convidou este escriba para realizar um almoço harmonizado no dia 19 de novembro – sábado – que terá como objetivo mostrar que a cerveja tem seu lugar na gastronomia e porque é a bebida mais versátil para harmonizações.
O almoço terá a participação dos 5 estados – Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Minas Gerais e São Paulo – presentes nesta terceira edição.
O eventon terá a recepção com o nosso delicioso Bierland Pilsen, cerveja puro-malte, de carater refrescante e levemente lupulada. Para começar, teremos a Blond Ale, da gaúcha Season – esta servida em chope. Para o primeiro prato, a Black Ipa da cervejaria mais rock’n’roll do Brasil – Kūd Bier Blackbird, também servida em forma de chope – que traz a nossa querida IPA os caraters de maltes torrados e tostados. Para o segundo prato a mais nova Dubbel brasileira da paulistana Leuven. Para fechar, a Insana Double Chocolate Porter, uma ousadia caseira que ganhou meu paladar e fará as honras de fechar este evento.

Os convites estão à venda no Bier Vila dentro da Vila Germânica ou pelo e-mail guischwinn@gmail.com.

E sempre lembrando “Se beber, não dirija”

Cervejaria Leuven

No mês de junho, em uma visita gastronômica e cervejeira à São Paulo, recebi da cervejaria Leuven – nome em homenagem à cidade de Leuven, na Bélgica – um Kit promocional contendo trêz de suas cervejas – Golden Ale, Red Ale e Dubbel – e um cálice com a logo da cervejaria.

A Cervejaria Leuven surgiu em 2010, em Piracicaba, mas a paixão de Alexandre Godoy – seu fundador – pela bebida alcoólica vem de berço. Seu bisavô produzia artesanalmente bebidas alcoólicas, principalmente
as destiladas. A paixão pelos fermentados, contudo, fez com que Alexandre buscasse mais conhecimento sobre o assunto e começasse a produzir sua própria cerveja.

Formado em Engenharia Agrônoma, estendeu seu conhecimento sobre cervejas na Escócia e assim pôde tonar seu hobby e experiências caseiras em profissão.

Segundo Alexandre, suas cervejas tem identidade própria e um estilo Leuven de ser – já que são autênticas e não seguem muito um padrão de característricas em guia de estilos, o que, para alguns, podem serconsiderado um “ultrage”.

Hoje a cervejaria comercializa as três cervejas que compunham o Kit. A considerada de combate é a Golden Ale: cerveja de cor dourado intenso,com aromas de malte, nunaces de mel, adocicado, frutado lembrando pêra, leve lúpúlo herbáceo. No paladar ela é cerveja super balanceada, com característiocas adocicadas de malte, frutado lembrando pêra e maçã, lúpulo herbaceo, amargor de médio à baixo e final seco, fazendo
o degustador querer mais um gole da cerveja, conjunto que torna a cerveja com um ótimo drinkability. Uma excelente cerveja e que agrada desde os iniciantes aos especilistas de plantão.

Uma cerveja com padrão para quem já esta se arriscando em cervejas mais complexas é a Red Ale. De cor âmbar, tem aromas doces de malte,caramelo, toffe, leve acidez e leve frutado. No paladar, uma cerveja de corpo médio, com notas de toffe, caramelo, levissmo frutado lembrando lichias, amargor de lúpulo, doce destacado e acidez de média a baixa. Em um primeiro momento achei estranha a acidez, por não ter sido destacada em nenhuma outra análise sensorial, mas, segundo Alexandre, a Red Ale tem uma leve acidez característica. Para garantir seu controle, todas suas cervejas passampor testes laboratorias antes de serem vendidas.

Já para os exigentes, a cervejaria Leuven oferece sua Dubbel, em garrafa de 750 ml arrolhada. No momento da degustação tive – pra variar – um belo duelo com a rolha, que estava com defeito. Contudo, tal fato já foi resolvido.
De cor âmbar, turva, traz no aroma malte, picante, cítrico, frutado lembrando pêra, laranja e leve fermento. No paladar, uma explosão de sabores trazendo malte, doce na medida, picante, leve condimento –
coentro, pimenta -, cítrico, pêra, laranja, álcool muito bem inserido, retrogosto levemente doce e seco. A meu ver, esta se encaixa mais em uma Tripel – e uma das melhores que já provei – e não para uma Dubbel , pela falta das características do maltes torrados e de frutas pretas. Mas como Alexandre mesmo disse, suas cervejassão estilo Leuven e com identidade própria. Suas cervejas estão muito
bem inseridas na sua proposta.
Leuven esta de parabéns e esperamos que suas próximas “crias” sejam tão igualmente boas ou melhores que as já existentes no mercado.