Arquivo

Archive for abril \26\UTC 2012

Harmonização: Sopa de cebola e Mastri Birrai Umbri Cotta 37

 

Frio esta chegando e começam a surgir diversas variações de sopas, caldos e cremes para poder esquentar. Infelizmente fomos ensinados que para nos esquentarmos, o acompanhamento ‘natural’ para sopas seria o vinho. Para quebrar esse mito, darei aqui uma receita de uma sopa clássica francesa – com pequenas modificações – e sua harmonização com cerveja.

Precisando de um pouco de conforto e esquecer um pouco da vida, optei por essa receita e obtive um ótimo resultado. A Soupe à l’ognion, ou simplesmente Sopa de Cebola, é uma preparação francesa que consiste em cebolas fatiadas finamente, levemente caramelizadas, cozidas com caldo de sua preferência – geralmente carne ou frango – e finalizada com uma generosa fatia de pão e queijo gratinado. Simples assim.

Para alguns melhoramentos e experiência, adicionei à sopa sumac –  tempero do Oriente Médio oriundo do fruto seco de um arbusto, com sabor ácido – e um pouco baunilha natural. Experiência aprovadíssima. Por sinal, começarei a usar mais baunilha e outros condimentos diferentes em caldos e cremes, pois grata a surpresa.

Para acompanhar, encontrei em um supermercado aqui em Floripa a cerveja italiana Mastri Birrai Umbri Cotta 37 – importada pela La Pastina. Uma Spice/Vegetable Beer  que leva em sua composição ervilhas italianas além dos ingredientes tradicionais – malte de cevada, água, lúpulo e levedura. De coloração alaranjada, espuma densa e persistente, no aroma traz notas de caramelo, leve cítrico e frutado. Já na boca, sabor suave, corpo médio à leve e sabores idênticos aos sentidos no aroma. Ótima cerveja.

Na harmonização, a cerveja se comportou muito bem. Ponto interessante dessa combinação foram as sensações que o quente da sopa e o gelado da cerveja trouxeram ao paladar. Além disso, o caramelo das cebolas, o adocicado da baunilha e cítrico do sumac combinaram perfeitamente com as características da cerveja. Sua carbonatação alta ajudou a limpar a gordura da sopa.

Excelente experiência. E, como disse o chefe de cozinha do Marcel – em São Paulo -, Raphael Despirite, por um instante, mesmo que seja rápido demais, um bom prato te faz esquecer de tudo.

 Aproveitem a cerveja e a boa comida sem levá-las muito a sério.

Receita:

Sopa:

5 cebolas roxas médias

1l de fundo de carne

1/5 de fava de baunilha – ou 1/2 colher de chá de extrato de baunilha

1 colher rasa de sopa de sumac – caso não encontre, pode ser substituído por folhas de limão

louro

1 dose de cognac

50g de manteiga

2 colheres de sopa de creme de leite fresco

1 colher de farinha de trigo

sal e pimenta do reino a gosto

queijo Gruyere para gratinar

pão torrado

Fundo:

1 1/2 de água

1 cenoura

1 cebola

2 talos de salsão

1 cravo da índia

700g de ossos e aparas carne bovina sem muita gordura

1 colher de extrato de tomate

Modo de Preparo

Fundo:

Corte os legumes em pequenos cubos. Queime o extrato de tomate na panela, acrescentando água gradualmente para que não grude no fundo da panela.

Refogue de leve os legumes, os ossos e as aparas de carne. Junte a água e restante dos ingredientes e cozinhe em fogo baixo por cerca de 4 horas ou mais.

Dica: coloque duas grades do fogão uma em cima da outra, para deixa a panela o mais longe possível do fogo e não evapore a água rapidamente, preservando ao máximo os sabores dos ingredientes.

Sopa:

Fatie as cebolas o mais fino possível. Refogue na manteiga, junto com o sumac. Junte a farinha e coloque o fundo aos poucos, dissolvendo a farinha.

Junte o louro, cognac e a baunilha e cozinhe até atingir uma textura cremosa. Depois disso, misture o creme de leite e sirva em cumbucas, levando-as ao forne com a torrada e o queijo para gratinar.

Só servir e se deliciar.

Foto: Michele Meiato Xavier

Barman da galera é na Cervejaria Nacional

Só na Cervejaria Nacional você poderá servir chope de graça para seus amigos e ganhar na faixa a noite inteira.

Neste feriado do dia 1° de maio a Cervejaria Nacional estará realizando a promoção “Barman da Galera”. Para participar é fácil: basta chegar na cervejaria no dia 1°, tirar uma foto do estabelecimento, postar no Facebook e marcar a Fan Page da cervejaria. O prazo para participação será das 17h às 20h.

O autor da melhor foto servirá chope de graça para os amigos – das 20h às 20:30h – e ainda ganhará a noite cerveja na faixa.

A Cervejaria Nacional fica na  Avenida Pedroso de Morais, 604- Pinheiros, São Paulo. Um ótimo ambiente, boa comida – destaque para Costelinha de Porco e barbecue – na singela opinião deste escriba – e boas cervejas – destaque para Pilsen e IPA – opinião deste escriba, de novo.

Para quem participar, boa sorte e aproveite com sabedoria esta noite.

Fonte: assessoria de imprensa da Cervejaria Nacional

Brooklyn Local 2

image

Ontem tive a oportunidade de experimentar a mais nova importação da Beer Maniacs, a Brooklyn Local 2.
Mais uma bela criação do mestre cervejeiro – e das harmonizações – Garrett Oliver. Uma Belgian Dark Strong Ale que leva em sua composição mel, açúcar belga escuro e zests de laranja.
De cor castanho escuro e espuma bege de boa duração, esta cerveja traz complexidade ao paladar. Com aroma de mel, leve torrado, caramelo, toffe e cítrico. No boca, notas de toffe, mel bem perceptivél – conforme tempo no copo esta aumenta -, caramelo, frutas secas e final cítrico e seco.
Seus 9% abv estão muito bem inseridos nesta composição – assim como o mel, a percepção do álcool fica mais aparente com o tempo.
Bela cerveja para acompanhar carnes de caça, pernil suíno, sobremesas com base de creme, café e chocolate – tiramisu, por exemplo – , queijos azuis e pratos condimentados.

Do Copo Pra Panela – trufas de imperial stout

Pensando nos eventos de harmonização, onde sempre uso em algum dos pratos a cerveja como ingrediente, e nas pessoas que frequentam os eventos, começo agora a sessão Do Copo Pra Panela.

Como adepto do estilo punk faça você mesmo, resolvi fazer o presente de páscoa. O escolhido foram trufas de chocolate – chamadas assim por parecerem com os fungos comestíveis conhecidos pelo mesmo nome – que levou na receita uma cerveja do estilo Imperial Stout, que trouxe para a receita as principais notas da cerveja, como o tostado, leve herbal do lúpulo, leve álcool – que poderá ser melhor percebido nas cervejas de maior potência alcoólica – e potencializando a sensação de picancia do cacau e chocolate amargo do doce.

Receita:

1kg de chocolate meio amargo

200g de creme de leite

100g de manteiga sem sal

70ml de cerveja Imperial Stout

1 xícara de cacau em pó

Mode preparo:

Com uma faca, corte o chocolate e separe em duas partes iguais.

Em um bowl em banho-maria – cuide para não encostar o fundo do bowl na água quente -, derreta uma parte do chocolate. Em seguida misture o creme de leite e a manteiga. Depois, junte a cerveja aos poucos, mexendo bem para homogenizar.

Leve para a geladeira a mistura, deixando descansar por 10 horas.

Com a ajuda de uma colher, faça bolinhas – elas ficaram irregulares por conta da textura da pasta.

Derreta a outra parte do chocolate em banho-maria. Deixe esfriar um pouco e banhe as bolinhas com a ajuda de um garfo. Escorra a cobertura, deixe secar e passe no cacau em pó. Leve para a geladeira por 1 hora.

Acompanhe com a cerveja do mesmo estilo usado na trufa. Bom apetite!

Baca, a cerveja “pagã”

Estréia hoje no Extra-Malte, no StudioCLio,  a nova criação da Cervejaria Coruja, as cervejas Fora de Séria.  A primeira a ser lançada ao público será a Baca – inspirada nas seguidoras do culto de Dionisio -, uma Amber Lager com adição de pitanga

Tivemos o prazer de experimentar esta cerveja no Festival Brasileiro da Cerveja, ainda com o nome de Pagã. Com notas maltadas, caramelo, amargor médio e com leve percepção da pitanga – leve frutado e acides. Cerveja bem equilibrada, com 5,2% de álcool e 40 IBU. No momento será comercializada somente hoje no evento e diariamente na Toca da Coruja – bar matriz da cervejaria.

A linha Fora de Série é um projeto desenvolvido para viabilizar a participação de provedores da cultura e artes locais. O primeiro convidado é o idealizador do projeto StudioClio e professor dos cursos de pós-graduação de Artes Visuais e História da UFRGS. A partir do mês de Maio as outras cervejas da linha estarão no mercado.

Além da estréia da Baca, o Extra-Malte – mediado por Sady Homirch, cervejeiro e baterista da banda Nenhum de Nós – trará como convidada Amanda Reitenbach falando sobre a cerveja como alimento e suas propriedades probióticas. Ainda ocorrerá uma harmonização com o chef Cacá Borges, as cervejas degustadas serão Göttlich Divina Weiss  com guaraná – Joinville -, MonDi Beer Coffee Notes – Pelotas – e a  Rogue Shakespeare Oatmeal Stout -Estados Unidos.