Início > Uncategorized > Mercado Público

Mercado Público


Abro o twitter esta manhã e o primeiro tweete que leio é o seguinte: “Prefeito de Florianópolis sanciona lei do mercado público”. No link adicionado a primeira frase constante é: “A intenção é resolver a questão secular das ocupações comerciais… ‘Isto é mais um capítulo na história da Administração Pública que busca soluções às ocupações permissionárias’, assinalou o prefeito”. Após ler isso fico pensando: qual a utilidade de um Mercado Público, existente em muitas capitais e cidades do interior do nosso país?

Mercado Público é um local criado pelo governo do estado onde em seu interior deveria haver a venda dos mais variados produtos, visando a valorização desses e de seus produtores. Infelizmente, isso é o que menos acontece.

Em Florianópolis, e não só por aqui, o mercado público serve, mais uma vez, apenas para arrecadação de tributos e articulação política. A lei sancionada na sexta-feira (18) visa a licitação do espaço para particulares, por um prazo de 15 anos, e a escolha do mix de produtos que serão vendidos. Pelo que se pode ver, mais uma vez ocorrerá a desvalorização do produto e do produtor.
Hoje o Mercado Público de Florianópolis virou uma gigantesca peixaria tão somente, com produtos nada agradáveis, e alguns poucos restaurantes – que até onde vemos a fiscalização há anos por ali não passa, visto a quantidade de sujeira e desordem que se pode encontrar em seu interior.

Como Gastrônomo e adepto da valorização dos insumos utilizados na alimentação, a concepção de Mercado Público deve ter em conta a valorização dos produtos regionais e nacionais, para que tais possam chegar ao conhecimento e alcance de todos e não somente restritos ao local onde produzidos.

Não queremos que nosso país, com a variada flora que possui, venha a se igualar a alguns países da Europa, onde os produtos são caros e encontrados em pequenas quantidades, ou até mesmo não encontrados, em razão da extinção antecipada decorrente de um controle falho de sua utilização e produção. Ou, até mesmo, para que nossos produtos não sejam “usurpados”, como o caso do nosso Açaí, que agora, nas mãos dos asiáticos, pode vir a não mais ser visto por aqui.

Para isso que queremos um Mercado Público e para isso que ele deve servir: que nossos filhos e netos possam continuar comendo e conhecendo a riqueza de nossa fauna e flora, com acesso a uma contínua e vasta produção de alimentos.
Chega de mais uma razão pífia para arrecadação tributária e pouca contraprestação, como é a práxis no nosso país.

Photos by: Michele Meiato Xavier (@MicMX)

Anúncios
Categorias:Uncategorized
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: